CAPÍTULO 7


Luna, a Espanhola


Luna, assim conhecida, é a filha anã da cozinheira Guilhermina. Gosta de se passear pelo piso térreo da casa como se fosse uma Senhora.

Na Quinta, a sua figura espampanante metida num corpo de menina, não passa despercebida aos olhos de Jeremias.

Ao ver entrar a espanhola com os seus gestos cheios de salero, esquece por completo a lavadeira Alzira que, com o dobro do seu tamanho, fora sempre uma tentação e o seu maior desafio.

Dentro de si, sente que se enamora à primeira vista, e assim de um momento para o outro, sem dar conta, o tamanho deixa de ser para ele uma preocupação.

A mãe de Luna, que trabalha na cozinha, costuma trazê-la nos dias em que há tarefas especiais, como cozinhar compotas e fazer enchidos.

Hoje, contava com ela para a ajudar a preparar as iguarias que irão ser servidas aos convidados, mas a filha, que gostaria de ter nascido espanhola, surpreende-a ao aparecer com o seu vestido, a mantilha e o leque, sem dúvida a pensar na festa.

Com este aparato, Luna vai saindo da cozinha, sempre que pode, na esperança de se cruzar com Ataíde, o filho do Marquês, por quem sente um proibido desejo.


« Episódio anterior ~ Episódio seguinte »

Episódios já publicados aqui.