Euclides


Ao chegar à fonte no meio do jardim, o casal ouve o som da água que emerge e respinga na pedra. Gerarda toca no rebordo da concha e mergulha os dedos da mão para sentir a frescura da água.

Como é hábito aparece-lhe Euclides, que esvoaça e vai pousar no ombro de Gervásio. Nesse instante o Marquês sente-se invadido por um sentimento de alegria, serenidade e plenitude.