5 - Gabriel vê com a ponta dos dedos


Devagar, devagarinho, Gabriel vai sentindo a dureza dos torrões de terra a desfazerem-se debaixo dos pés. A mão estendida vai tocando no ar com a ponta dos dedos, às vezes entrando na inquietante encruzilhada dos ramos ásperos que picam e fazem doer, outras vezes repousando na superfície macia e aveludada das primeiras folhas que se abrem para dar uma nova vida ao jardim.







5 - Gabriel sees with his fingertips

The outstretched hand touches the air with the fingertips, sometimes entering the disturbing tangle of rough branches that sting and hurt, other times resting on the soft and velvety surface of the first leaves that emerge to give a new life to the garden.