2 - Olívia, a lavadeira


Olívia, a sua companheira, é uma mulher do campo, robusta e de feições fortes, que aparenta ser mais nova do que ele. Assim que nasce o dia, apodera-se dela uma imensa energia, dando andamento a uma sucessão de tarefas, que cumpre como um ritual para manter o esmero da casa onde vive com o jardineiro.

No exíguo quarto do casal começa por abrir uma recatada janela, e afastando as cortinas de chita para os lados, deixa entrar a brisa fresca da manhã. Depois, aproxima-se da beira da cama, verga-se e, com extremo vigor, sacode as fronhas e bate no colchão de palha endurecido pelos corpos que ali repousaram durante a noite.

Quando entra na cozinha vai direita à chaminé onde com meia dúzia de gravetos e duas pinhas ateia o fogo quase extinto que ficou da ceia do dia anterior. O lume reacende-se num piscar de olhos e é tudo o que precisa para preparar a primeira refeição do dia num púcaro que assenta sobre as brasas. Enquanto a água não ferve, de uma panela de ferro com três pernas retira um naco de toucinho a pingar, que depois de enrolado numa folha de couve mete na sacola que Gabriel há de levar ao ombro.

A pouco e pouco, naquele interior enegrecido pela fuligem, a luz vai-se instalando e refletindo na brancura da cal que sobrou nas paredes. Assim que um raio de sol lhe pousa no rosto, Gabriel não perde tempo a levantar-se, pois sabe que chegou a hora de mais um dia de trabalho. Como é hábito despede-se da mulher com um “até logo”, pega na vara que o ajuda a “ver” e sai tendo pela frente o mesmo destino de todos os dias.

Olívia aproveita o momento e, de um só gesto, recolhe da mesa as malgas vazias por onde sorveram uma cevada escura. Com a mão calejada varre do tampo os farelos da broa, que recolhe no seu largo avental. Dirige-se então à soleira da porta para atirar as migalhas ao galo e às galinhas que andam por ali a bicar a terra. Com o corpo escancarado à primeira luz quente do dia, deixa-se ficar a ver o seu homem a afastar-se com a determinação de quem conhece bem o caminho a seguir.

Por breves instantes a lavadeira esquece-se de que é mulher, que tem que voltar para dentro onde ainda há trabalho que a espera, para depois sair a correr para ir apanhar a roupa dos Senhores.

Antes de sair recolhe as aves na capoeira e, o lobo que acabara de sair da toca, sem sorte nenhuma ao ver o cuidado de Olívia, resolve pôr-se a caminho da Quinta do Castanheiro. Qual dos dois chegará primeiro?


-

2 - Olívia, the laundress

With a calloused hand, she sweeps the breadcrumbs from the tabletop, which she collects in her wide apron. She then goes to the doorway to throw the crumbs at the rooster and the chickens that peck the land. With her body wide open in the first warm light of the day, Olivia allows herself to watch her man walk away with the determination of someone who knows the way to follow.








--