1 - Gabriel, o velho jardineiro


Gabriel, o velho jardineiro, nasceu perto da Quinta do Castanheiro ainda no tempo dos avós de Ataíde (conto 1). Por ali cresceu e fez-se homem, vindo a casar com Olívia, a lavadeira. Desse laço nasceram quatro filhos: Lourenço, o tratador de cavalos, os gémeos Ernesto e Celeste, e Alberto, o filho mais novo, cujo espírito livre o empurrou para a cidade em busca de novos horizontes. Dele recebem notícias ocasionalmente trazidas por Ramiro, o caixeiro-viajante que percorre as redondezas do lugar onde vivem. Foi por ele que ficaram a saber que Alberto era aprendiz numa grande oficina da Capital, onde se fazem e pintam azulejos de painéis parecidos com os que conhecem da casa da Quinta.

Desde muito cedo, Gabriel aprendeu com Israel, seu pai, a cuidar de flores, e foi assim que, a pouco e pouco, acabou por se dedicar por inteiro ao jardim da casa da Quinta. Graças à dimensão e importância que foi adquirindo pela mão do Marquês, o jardineiro teve que aprender a dividir o seu labor entre as flores, que chegavam de várias partes do país e do mundo, e os pássaros, que tanto admira e que todos os dias ali vêm pousar. Pela proximidade e atenção que lhes dedica, há até quem lhe chame Gabriel, o tratador de pássaros. Perante tanta entrega, o Marquês Gervásio sentiu, por mais de uma vez, vontade de mostrar ao fiel jardineiro alguns dos livros da sua biblioteca, onde abundam gravuras das muitas espécies de pássaros e flores que habitam e florescem no jardim. Gabriel, surpreendido por este gesto inesperado, fez sempre por demonstrar gratidão e, com humildade, foi querendo saber o nome e a origem de cada pássaro e de cada flor. Noutros tempos, era ele até que, às vezes, sentindo-se um pouco mais à vontade, se atrevia a apontar um ou outro pormenor que não via constar nas páginas dos livros.

Infelizmente, com o passar dos anos, Gabriel foi perdendo a visão. Em casa habituou-se a receber todos os cuidados da mulher, mas lá fora, no jardim, é ele e apenas ele que, sozinho, tem que saber circular entre as flores e os pássaros. Por achar que continua a desempenhar a sua tarefa como antes, custa-lhe aceitar ter de abrandar ou vir a abandonar o trabalho de uma vida. O jardineiro conserva a atitude de um homem brando, que aceita placidamente a cegueira mas que, ao mesmo tempo, faz por não ficar preso a essa condição que o quer afastar daquilo que mais preza e que é, em boa parte, a sua razão de viver.








1 - Gabriel, the old gardener

From an early age, Gabriel learned from Israel, his father, how to care for flowers, and that was how, little by little, he ended up dedicating himself entirely to the garden of the Quinta's house. Unfortunately, over the years, Gabriel lost his sight. The gardener retains the attitude of a gentle man, who accepts blindness placidly but who, at the same time, makes sure that he does not get stuck in that condition that wants to keep him away from what he values the most, and which is, in good part, his reason for living.



Integrado na iniciativa: "De Porta Aberta… Escolha como quer entrar ".