As peças reunidas ilustram a evolução e a alteração da função da cerâmica na China, a passagem do seu uso nos rituais funerários à sua utilização no quotidiano, da terracota à cobiçada porcelana, cujo segredo apenas no século XVIII seria divulgado na Europa.

Trata-se de um riquíssimo universo de formas, vidrados e funções, que em muito transcende visões redutoras, confinando a cerâmica chinesa às superfícies brancas e finas, decoradas a azul e com brasões.