Escultor, ceramista, pintor, desenhador e gravador, Semke deixou-nos uma poderosa obra cerâmica, de forte pendor expressionista radicado na sua cultura alemã.







Hein Semke (1899-1995) nasceu em Hamburgo e, após uma primeira visita em 1929, radicou-se em Portugal em 1932, onde viveu até à sua morte. Semke deixou-nos uma poderosa obra cerâmica,de que o Museu Nacional do Azulejo apresentou uma retrospetiva em 1991. Em 2015, a coleção do Museu foi enriquecida com uma importante doação de obras cerâmicas deste artista, num total de 209 peças, feita por Teresa Balté. Deste significativo conjunto de esculturas, bustos, máscaras, jarras, jarrões, travessas, placas e pratos, entre outras tipologias, testemunho de uma obra ímpar na cerâmica moderna de autor, produzida em Portugal no século XX, mostra-se agora uma seleção muito representativa, visando celebrar e divulgar a doação.

 

De 22 de Março a 30 de Outubro  2016