O Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian possui no seu acervo uma diversificada colecção de cerâmica que se apresenta ao público, pela primeira vez em conjunto, no Museu Nacional do Azulejo.
Esta colecção foi sendo reunida ao longo dos anos que precederam a criação do CAM quer através da aquisição de obras, que a Fundação Gulbenkian desejou integrar na sua colecção de arte do século XX, quer por doação dos artistas, na sequência de bolsas atribuídas ou de exposições realizadas.
Reunindo artistas portugueses e estrangeiros, é um conjunto revelador do interesse que a Fundação Gulbenkian sempre demonstrou pelas mais variadas formas de expressão artística, ilustrando bem a riqueza e versatilidade do acervo do CAM.